Estadual

Merenda escolar será entregue quinzenalmente para famílias de alunos

Publicados

em

.

O governador Carlos Massa Ratinho Junior determinou a entrega dos alimentos perecíveis e não perecíveis às escolas para estudantes regularmente matriculados e beneficiários do Programa Bolsa Família e/ou em situação de vulnerabilidade social. A medida foi formalizada pelo Decreto 4.316/20, assinado neste sábado (21), que estabelece os meios para a distribuição.

Segundo o governador, a decisão tem como objetivo garantir que os alunos e suas famílias tenham acesso facilitado aos alimentos durante o período de suspensão das atividades escolares decorrentes da pandemia da COVID-19. “Ao longo da semana todas as providências devem ser adotadas para que as famílias tenham acesso aos alimentos”, afirmou.

Em cumprimento ao decreto, a Secretaria de Estado da Educação e do Esporte já publicou a Resolução 901/2020 em que define como se dará a organização das escolas para o recebimento e distribuição da merenda escolar. A entrega dos alimentos da merenda escolar vai acontecer quinzenalmente, com início previsto para 26 de março. Os alunos contemplados e seus responsáveis devem retirar os kits nas escolas em que estão matriculados.

Leia Também:  Celepar comemora 55 anos e anuncia mais um projeto inovador

COMO VAI FUNCIONAR – Respeitando a restrição dos grupos de risco do COVID-19, a direção irá organizar uma escala de trabalho de plantão para o recebimento e distribuição dos alimentos com a presença do diretor, diretor-auxiliar, agente educacional I e II.

Os gestores escolares poderão, ainda, contar com a ajuda de voluntários de sua comunidade escolar, desde que não sejam pessoas do grupo de risco do COVID-19, e com voluntários inscritos na Defesa Civil do Paraná – a lista dos voluntários será divulgada aos diretores escolares para que eles acionem em caso de necessidade.

Para garantir a segurança dos servidores e da operação, a secretaria autorizou a aquisição de sacolas plásticas, luvas, máscaras e álcool gel com recursos do Fundo Rotativo. O dinheiro já foi repassado para as escolas.

No caso de escolas que não tiverem muitos alunos inscritos no Bolsa Família, as instituições poderão ampliar a entrega para alunos em situação de vulnerabilidade social que não sejam contemplados pelo programa do governo federal. A direção da escola poderá optar pelo remanejamento da merenda para outras escolas, contando para isso com o apoio logístico da Defesa Civil.

Leia Também:  Prova Paraná será adaptada para alunos da Educação Especial

COOPERAÇÃO – O abastecimento das instituições de ensino e a logística de entrega de alimentos serão coordenados em conjunto pelas secretarias de Estado da Educação e do Esporte, da Agricultura e do Abastecimento e pelo Instituto Paranaense de Desenvolvimento Educacional (Fundepar).

Parte dos alimentos que compõem a merenda escolar é fornecida por 179 cooperativas agrícolas. A manutenção do fornecimento será operacionalizada junto às cooperativas pela Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento.

A pasta da Educação e do Esporte e o Fundepar irão organizar de que forma as escolas estaduais irão receber as remessas de alimentos e realizar a entrega para os estudantes beneficiários de programas de assistência social, preconizando as medidas de segurança impostas pelo enfrentamento da emergência da COVID-19.

Saiba mais sobre o trabalho do Governo do Estado em:
http:///www.facebook.com/governoparana e www.pr.gov.br

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Estadual

Paraná desenvolve EaD para atender estudantes da rede estadual

Publicados

em

.

O Governo do Estado está estruturando um sistema de Educação a Distância (EaD) para atender os estudantes da rede estadual enquanto perdurar a pandemia do coronavírus. A iniciativa teve ampla aceitação do Conselho Estadual de Educação (CEE), que aprovou a medida por 17 votos a favor e apenas um contrário.

A Secretaria de Estado da Educação e do Esporte está desenvolvendo a plataforma, que deverá ser apresentada na próxima semana. Assim, os cerca de 1 milhão de alunos da rede não terão seu processo de ensino e aprendizagem prejudicado devido ao momento delicado pelo qual o país passa.

Segundo a secretaria, o Estado está adotando dados técnicos e científicos em relação à propagação do novo coronavírus e os colégios só serão reabertos quando a situação for considerada segura pelas autoridades sanitárias.

PROTAGONISMO – Em webconferência realizada nesta quinta-feira (2), o secretário Renato Feder destacou que o professor será o protagonista nesse novo processo que está em elaboração. A ideia é gravar as videoaulas exclusivamente com docentes da rede estadual.

A solução em desenvolvimento vai permitir que haja interação entre estudantes e docentes. O professor terá liberdade para enviar materiais de estudo e links que ajudem a complementar o conteúdo e também poderão definir atividades extras a serem realizadas pelos alunos.

Leia Também:  Entenda as novas medidas adotadas pelo Governo para combater o coronavírus

Saiba mais sobre o trabalho do Governo do Estado em:
http:///www.facebook.com/governoparana e www.pr.gov.br

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo