Carros e Motos

Mais de 100 mil motos são produzidas em janeiro, alta desde 2015

Publicados

em

source
Motos arrow-options
Divulgação

Mercados de motos está se aquecendo cada vez mais. A tendência de alta é observada na Zona Franca de Manaus

A Associação Brasileira de Fabricantes de Motocicletas (Abraciclo) divulgou os números de produção das motos em janeiro. Eles revelam um aquecimento do mercado de motos. No primeiro mês do ano, representa um avanço de 19,5% em relação ao respectivo período de 2019, que teve 83.920 unidades produzidas, e de 45,2% sobre as 69.062 fabricadas em dezembro de 2019. Ao todo, Manaus viu 100.292 unidades saírem das fábricas instaladas em seu pólo industrial, que é o melhor desempenho desde 2015.

LEIA MAIS: Veja quais foram as 5 motos mais vendidas no mês de janeiro

Segundo o presidente da Abraciclo, Marcos Fermanian, esse resultado reforça a previsão do órgão de um crescimento da produção de motos em 6,1% para este ano. De acordo com as projeções, serão produzidas 1.175.000 motocicletas em 2020. “A procura por alternativas que garantam a maior eficiência na mobilidade urbana tem impulsionado o setor, já que muitas pessoas estão trocando o seu veículo pela motocicleta para se deslocar com maior flexibilidade nas médias e grandes cidades”, afirma o executivo sobre o mercado de motos .

Leia Também:  10 carros com tração dianteira divertidos de guiar

Alta, apesar das quedas nas exportações

Honda arrow-options
Divulgação

Honda CG foi a moto mais vendida de janeiro, com 24.915 unidades emplacadas

Os repasses das fábricas para as concessionárias totalizaram 90.874 unidades, alta de 11,3% em relação a janeiro de 2019 (81.681 unidades) e de 26,8% sobre dezembro de 2019 (71.672 unidades). A categoria que registrou maior crescimento em foi a Scooter, com 7.792 vendas de atacado em janeiro, uma alta de 80,4% em relação às 4.319 unidades do mesmo mês de 2019 e de 1,08% com relação a dezembro (7.709 unidades).

LEIA MAIS: Veja as 5 motos inéditas mais esperadas de 2020

Fermanian, presidente da Abraciclo , lembra que a categoria segue em expansão contínua nos últimos meses. “Esses modelos se tornaram uma opção para quem compra a primeira motocicleta e também para aquelas pessoas que desejam uma alternativa mais rápida, eficiente e econômica de locomoção”. Já o segmento das Off-Roads alcançou o volume de 977 motocicletas vendidas no atacado, significando um crescimento 18,1% na comparação com o mesmo mês do ano passado (827 unidades) e recuo de 17,2% frente a dezembro de 2019 (1.180 unidades).

Leia Também:  Quem segura a Caoa Chery em 2020?

Por outro lado, a categoria mais comercializada segue sendo a Street, com 52,9% de participação. Em janeiro, foram comercializadas 48.071 unidades, representando um aumento de 8,9% ante as 44.146 unidades registradas no mesmo mês de 2019, e alta de 43,9% na comparação com dezembro de 2019 (33.406 unidades). Somente as exportações de motocicletas andam em baixa.

LEIA MAIS: Royal Enfield lança dois modelos e anuncia que vai montar suas motos no Brasil

Em janeiro, foram exportadas 1.701 unidades, volume 62,8% inferior ante as 4.570 unidades registradas no mesmo mês do ano passado. Na comparação com dezembro de 2019 (3.054 unidades), a queda foi de 44,3%. De acordo com dados do portal de estatísticas de comércio exterior Comex Stat analisados pela Abraciclo, o principal destino foi a Argentina, com 1.890 unidades, o que correspondeu a 62,7% participação em relação ao total exportado pelo setor. A crise no país vizinho é o que mais explica o fraco desempenho para a exportação, que afetou o mercado de motos . Na sequência aparecem Estados Unidos (575 unidades e 19,1%) e México (192 unidades e 6,4%).

Fonte: IG CARROS
COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Carros e Motos

Falta de baterias faz Audi interromper produção de veículos elétricos

Publicados

em

source

Olhar Digital

O E-tron será o primeiro veículo SUV da Audi à base de eletricidade arrow-options
Divulgação

O E-tron será o primeiro veículo SUV da Audi à base de eletricidade

Com o objetivo de resolver problemas de produção, a  Audi  interrompeu temporariamente a fabricação do E-Tron SUV, seu veículo elétrico. Uma das principais dificuldades enfrentadas pela empresa foi o fornecimento das baterias usadas pelos veículos.

LEIA MAIS: Nissan terá novo SUV global abaixo do Kicks; veja detalhes

Essa interrupção pode ser decisiva para os negócios da Audi, que se preparava para começar a investir no modelo que, aliado a uma proposta mais esportiva, poderia acirrar a competição pelo mercado de carros elétricos, dominado atualmente pela Tesla.

De acordo a um porta-voz da empresa, a produção foi interrompida na última quinta-feira (20), com previsão de ser retomada na próxima terça-feira (25). Ano passado, a Audi vendeu 26.400 mil carros elétricos – devido à interrupção, eles se recusaram a comentar as estimativas para este ano.

Esse não é o primeiro problema enfrentado pela linha E-Tron da Audi . No ano passado, a empresa teve de tirá-lo de circulação devido a problemas que poderiam causar o incêndio dos primeiros modelos.

Leia Também:  Estudo aponta que dois entre três motociclistas já pilotaram sem CNH

LEIA MAIS: Veja como anda o novo Audi Q3 2020, com motor de 150 cv

Mesmo com a interrupção de produção, a empresa parece manter os planos para o lançamento de dois novos veículos elétricos este ano: o  E-Tron Sportback e o E-Tron GT. Ambos com arquitetura aprimorada em uma estratégia da empresa para tentar restaurar a vantagem tecnológica da marca.

Esse problema pode afetar diretamente a chegada do modelo ao Brasil. Anteriormente, a Audi anunciou que o veículo elétrico seria lançado por aqui em abril. Por enquanto, devemos esperar que a empresa se manifeste sobre a interrupção da produção e sobre as entregas previstas do carro. 

Fonte: IG CARROS

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo