Internacional

Jornal do Vaticano interrompe publicação diante de pandemia

Publicados

em

.

O jornal do Vaticano, L’Osservatore Romano, que o papa Francisco chamou de “jornal do partido”, suspendeu a impressão pela terceira vez em quase 160 anos nesta quarta-feira (25) devido ao coronavírus.

O jornal, fundado em 1861, continuará sendo publicado online e a maioria de sua equipe, com cerca de 60 pessoas, incluindo 20 jornalistas, trabalhará em casa, disse a editora Andrea Monda.

“Um jornal e o papel em que ele é impresso estão entrelaçados, então é triste que isso esteja acontecendo, mas a realidade é que todos estamos enfrentando uma crise”, disse Monda à Reuters.

A edição da noite de hoje será a última por enquanto. A tiragem de cerca de 5 mil cópias é desproporcional à sua influência mais ampla na reflexão da opinião do Vaticano sobre assuntos internacionais e assuntos da Igreja.

“Vamos tentar aproveitar ao máximo o momento para aumentar o número de leitores online até que possamos voltar a imprimir”, disse Monda.

Dez cópias continuarão sendo impressas. Eles são para o Papa Francisco, o ex-Papa Bento XVI, algumas autoridades de alto escalão e algumas cópias para serem arquivadas para registro histórico.

Leia Também:  Filipinas anunciam primeira morte por coronavírus fora da China

“Tivemos que parar principalmente porque as impressoras e os distribuidores não puderam garantir seus serviços em condições seguras por causa da paralisação na Itália e no Vaticano”, disse Monda.

É muito raro o jornal não ser publicado. Até a ocupação nazista de Roma durante a Segunda Guerra Mundial não interrompeu a publicação do jornal.

No entanto, o jornal não foi publicado em 20 de setembro de 1870, quando as forças que lutavam pela unificação italiana conquistaram Roma e encerraram o poder temporal da Igreja sobre uma grande faixa da Itália conhecida como Estados Papais.

A publicação também foi suspensa por um período em 1919 devido a problemas trabalhistas e outras dificuldades na Itália após a Primeira Guerra Mundial, disse Monda.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Internacional

Total de mortes por covid-19 chega a 4.897 na Inglaterra

Publicados

em

.

O número de mortes em hospitais na Inglaterra devido ao novo coronavírus aumentou de ontem para hoje (6) em 403, totalizando 4.897, informou o Serviço Nacional de Saúde.

Acrescentou que apenas 15 dos 403 pacientes não tinham comorbidades (duas ou várias doenças que aparecem de modo simultânea)

Também hoje, o primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, está passando por exames em um hospital, após apresentar sintomas persistentes do novo coronavírus por mais de dez dias, mas o governo informou que ele segue em bom estado.

Johnson, que se isolou em Downing Street depois de receber o resultado positivo para a covid-19 no mês passado, foi hospitalizado na noite de domingo por ainda estar com febre e seus médicos acreditarem que ele precisa ser submetido a exames adicionais.

“Sob recomendação do meu médico, fui ao hospital para alguns exames de rotina, já que continuo apresentando sintomas de coronavírus”, tuitou Johnson.

 

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Governo do Irã anuncia 2.757 mortes por coronavírus
Continue lendo