Estadual

Fórum debate logística para a região Noroeste

Publicados

em

Os investimentos do Governo do Estado na área de infraestrutura e logística foram tema de um fórum nesta sexta-feira (14), promovido pelo Conselho de Desenvolvimento Econômico de Maringá (Codem). O evento reuniu empresários do setor produtivo da região e apresentou as vantagem de exportar pelos Portos do Paraná.

O secretário estadual de Infraestrutura e Logística, Sandro Alex, apresentou os projetos e ações que são realizados em diferentes modais para desenvolver ainda mais o agronegócio e a indústria paranaense. “A intenção é demonstrar as atuações da secretaria, seja no porto, nas rodovias, ferrovias e aeroportos. As obras em andamento e as obras que estão prospectadas através do Banco de Projetos, principalmente para a região Noroeste”, disse.

PORTOS – Maringá é a cidade que mais exportou granéis pelos portos paranaenses em 2019. Foram mais de 3,2 milhões de toneladas de produtos, saídos da cidade. Destaque para o milho (1,4 milhão de toneladas) e a soja (1 milhão de toneladas).

A região Noroeste também tem potencial para um novo tipo de movimentação: o DDGS, sigla em inglês para o farelo de milho que é resultado da moagem do produto na produção de etanol. Em dezembro do ano passado, o Porto de Paranaguá fez o primeiro embarque do produto.

Leia Também:  Universidade desenvolve teste rápido e seguro contra dengue

O diretor de Operações da Portos do Paraná, Luiz Teixeira, explica que a única fábrica de DDGS no Estado fica em Jandaia do Sul. “É uma nova possibilidade. A região já tem muita força na produção e exportação de açúcar, farelo, milho e soja”, disse.

Para Teixeira, esse tipo de evento é essencial para que os produtores conheçam o porto e as vantagens de exportar por Paranaguá e Antonina. “Nossos portos são as opções mais vantajosas para exportação e também para a importação de insumos. O Paraná está cada vez mais integrado e entender a logística é fundamental para o setor produtivo”, acrescentou.

RODOVIAS – No ano passado, 14.918 caminhões cruzaram as rodovias entre Maringá e Paranaguá. O diretor-geral do Departamento de Estradas de Rodagem, Fernando Furiatti, falou sobre as obras que devem melhorar a malha viária. Ele detalhou as obras em estradas já finalizadas no Paraná, as que estão em andamento e como será o Banco de Projetos, em criação pelo Governo do Estado. “Vamos entregar a futuros governantes, para um período de 10 anos, projetos executivos prontos, para que possam executar obras sem o empecilho que temos hoje. Com isso entregamos para a população uma possibilidade de receber investimentos futuros com o menor tempo possível”.

Leia Também:  MAC-PR sedia evento sobre performance arte

Furiatti elogiou a integração entre governo do Estado, Senado e Governo Federal. “Temos um diálogo excelente com a equipe do Ministério da Infraestrutura e isso facilita o caminho para captar investimentos e realizar as obras necessárias”, salientou.

FERROVIA – O modal ferroviário foi responsável pela maior parte do transporte de cargas com origem em Maringá. O Porto de Paranaguá recebeu 45.167 vagões que saíram da cidade.

“A interação entre os diferentes modais melhora os custos logísticos e evita gargalos. Por isso, estamos promovendo uma reestruturação da empresa pública que administra as ferrovias estaduais.”, explicou o presidente da Ferroeste, André Luis Gonçalves.

EXPECTATIVA – José Roberto Matos, presidente do Conselho de Desenvolvimento Econômico de Maringá, conta que os empresários da região estão se preparando para o futuro. “Queremos criar um caminho, junto com o setor público, para crescer. Nossos planos são para os próximos anos”.

Saiba mais sobre o trabalho do Governo do Estado em:
http:///www.facebook.com/governoparana e www.pr.gov.br

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Estadual

Inscrições abertas para cursos do Centro Juvenil de Artes

Publicados

em

O Centro Juvenil de Artes, da Secretaria de Estado da Comunicação Social e da Cultura, está com inscrições abertas para o 1º semestre de 2020. São oito opções de cursos: Artes Visuais, Desenho, Fotografia, Modelagem, Mosaico, Pintura, Teatro e Videoarte, destinados a crianças e adolescentes de 8 a 17 anos. As aulas iniciam no dia 2 de março e vão até 26 de junho de 2020.

“Para este primeiro semestre, abrimos novas turmas de cursos que já são conhecidos da casa, como Modelagem, Mosaico e Pintura, dando oportunidade para que mais jovens ingressem e participem das atividades do Centro Juvenil”, diz o diretor do Luiz Gustavo Vidal Pinto.

As oito modalidades são distribuídas durante o dia com aulas pela manhã (8h30 às 11h30) e à tarde (14h às 17h). Cada uma atende a uma determinada faixa etária. Confira a grade com os dias e horários das aulas no site www.cjap.seec.pr.gov.br.

INSCRIÇÕES – Para fazer a inscrição, o responsável pela criança ou adolescente precisa ir pessoalmente à secretaria do Centro (Rua Mateus Leme, 56), levando fotocópia de certidão de nascimento ou carteira de identidade do aluno e uma foto 3×4. As turmas abrem com um número mínimo de cinco alunos.

Leia Também:  Startups são aceleradas pelo programa Sinapse da Inovação

SERVIÇO: Inscrições abertas para os cursos do Centro Juvenil de Artes.

Faixa etária atendida: dos 8 aos 17 anos
Informações: (41) 3223-3805 | 3323-5643
Grade dos cursos: www.cjap.seec.pr.gov.br

Centro Juvenil de Artes – Rua Mateus Leme, 56, São Francisco. Curitiba/PR.
Horário de funcionamento: segunda a sexta-feira das 8h30 às 11h30 e das 14h às 17h.

www.cjap.seec.pr.gov.br

Saiba mais sobre o trabalho do Governo do Estado em:
http:///www.facebook.com/governoparana e www.pr.gov.br

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo