Política Nacional

CRE analisará projeto sobre aposentadoria de militares

Publicados

em

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre, fez nesta terça-feira (19) a leitura do Projeto de Lei (PL) 1.645/2019, do Poder Executivo, que reestrutura a carreira militar e o sistema de proteção social dos militares das Forças Armadas, polícias militares e bombeiros militares dos estados e Distrito Federal.

O projeto, a ser encaminhado para análise da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE), é o texto aprovado por comissão especial da Câmara, e que teve como relator o deputado Vinícius Carvalho (Republicanos-SP).

Para passar à inatividade, o texto determina que o tempo mínimo de serviço subirá dos atuais 30 para 35 anos, com pelo menos 25 anos de atividade militar, para homens e mulheres. A remuneração será igual ao último salário (integralidade), com os mesmos reajustes dos ativos (paridade).

Já as contribuições referentes às pensões para cônjuge ou filhos aumentarão dos atuais 7,5% da remuneração bruta para 9,5% em 2020 e 10,5% em 2021. Pensionistas e alunos atualmente isentos passarão a pagar essa contribuição, que incidirá ainda em casos especiais.

Leia Também:  CDR aprova regras nacionais para bicicletas e patinetes elétricos compartilhados

As regras para as Forças Armadas foram estendidas aos PMs e bombeiros, categorias incorporadas ao texto a pedido de integrantes da comissão especial. Os militares estaduais também asseguraram a integralidade e a paridade, vantagem que já havia deixado de existir em alguns estados, como o Espírito Santo.

Com informações da Agência Câmara Notícias

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Política Nacional

Benedita da Silva será candidata à vice de Freixo no Rio de Janeiro

Publicados

em

source

De acordo com informações do colunista Sidney Rezende , duas chapas, uma do Rio de Janeiro e outra de Maricá, definiram os nomes que ocuparão o posto de vice na eleição deste ano. A deputada federal Benedita da Silva (PT) será a vice de Marcelo Freixo (PSOL).

Leia também: Avião de pequeno porte cai no Guarujá e piloto sobrevive

Benedita da Silva arrow-options
Gabriela Korossy/ Câmara dos Deputados – 17.11.14

Benedita da Silva, deputada federal


No ano passado ela já havia sido sondada, mas foi rejeitada, já que o PSOL e o PT esperavam trazer o PDT para a aliança. Como o presidente Carlos Lupi (PDT) não abriu mão de Martha Rocha na cabeça da chapa, a ideia foi por água abaixo.

Leia também: Com mais 23 assassinatos, mortes no Ceará após motim chegam a 170

No começo do ano, o PT nacional pressionou em favor do nome de Benedita , mas a indicação foi rejeitada novamente. O argumento, dessa vez, era que o nome dela poderá ser alvo de opositores. Antes do carnaval, no entanto, a ideia voltou a ganhar corpo e o a decisão foi tomada. A ex-governadora será mesmo o nome que comporá a chapa chamada “união das esquerdas”.

Leia Também:  Debate esclarece pontos da MP que expande crédito ao agronegócio

Leia também: Na ONU, Damares diz que carnaval desrespeita a fé cristã e promete ações governamentais

Para o vereador psolista Renato Cinco, segundo o colunista, “a aliança com os petistas deixa o PSOL sem ter o que falar, pois o principal adversário, o Eduardo Paes, corresponsável pela crise da cidade, governou em aliança bastante festejada e comentada com o PT.

Em Maricá, a deputada estadual Rosangela Zeidan ( PT ), casada com o ex-prefeito de Maricá Washington Quaquá, será a vice do favorito Fabiano Horta.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo