Internacional

Coronavírus: nova metodologia faz China registrar recorde de óbitos

Publicados

em

Em apenas 24 horas, a China confirmou mais 254 mortos, devido ao novo coronavírus. Também se registaram mais 15 mil novos casos de infecção. A China voltou a registrar a maior mortalidade em um único dia, desde o início da epidemia. A alta dos números ocorre devido à nova metodologia para contabilizar os casos positivos.

Desde o início da epidemia, as autoridades chinesas só contabilizavam como casos positivos, os pacientes com diagnóstico confirmado em laboratório.

Nas últimas 24 horas, Pequim alterou o critério de contabilização na província de Hubei, o epicentro da doença, batizada Covid-19, passando a incluir também os casos de diagnóstico médico, detectados com base nos sintomas do doente e nos resultados de testes e exames.

Esta alteração traduziu-se em um número de infecções dez vezes superior ao do dia anterior, e na maior mortalidade diária desde que surgiu a epidemia.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Taiwan elege presidente no sábado e atual líder é favorita
Propaganda

Internacional

Produtor Harvey Weinstein é considerado culpado de crimes sexuais

Publicados

em

O produtor norte-americano Harvey Weinstein foi considerado culpado de dois crimes sexuais pelo júri em Nova York nesta segunda-feira (24).

De acordo com a tv norte-americana CNN, das cinco acusações de crimes sexuais que recaíam sobre Harvey Weinstein, o júri considerou-o culpado de dois crimes.

Segundo o júri, Harvey Weinstein é culpado de um ato sexual criminal em primeiro grau envolvendo Miriam Haley, e de violação em terceiro grau, envolvendo outra mulher.

Se for confirmada a condenação, a pena por ato sexual criminal em primeiro grau é entre cinco e 25 anos de prisão, enquanto o crime de violação em terceiro grau implica uma pena até cinco anos de prisão.

Harvey Weinstein, 67 anos, é acusado de crimes ocorridos entre 2006 e 2013, e o julgamento teve início a 6 de janeiro, sendo considerado um momento histórico do movimento #Metoo de denúncias de abusos sexuais na indústria do entretenimento.

Weinstein, detido em maio de 2018, insistiu na inocência, alegando que todos os atos foram consentidos.

Leia Também:  Nasa anuncia descoberta de planeta do tamanho da Terra

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo