Estadual

Café especial paranaense é premiado em concurso nacional

Publicados

em

O café produzido em Japira, no Norte do Paraná, conquistou o 2º lugar no 16º Concurso Nacional Abic de Qualidade do Café – Origens do Brasil – Safra 2019, que recebeu inscritos de sete estados brasileiros. Os produtores são o casal Ossi Cruz de Oliveira Lima e Francisco Barbosa Lima, do Sítio Fortaleza.

Os cafés finalistas foram avaliados por um júri técnico composto por provadores e especialistas, responsáveis por 90% da nota final, enquanto o critério de Sustentabilidade corresponde aos 10% restantes.

O lote de café Arábica, Cereja Descascado, da variedade Arara, sobressaiu-se com as características sensoriais de Especiarias, Frutado e Baunilha. A pontuação da Abic foi de 8,81, muito próxima do primeiro colocado, da Bahia, que somou 8,92 pontos. Os vencedores participaram de um leilão nesta semana, e o café paranaense teve duas sacas vendidas por R$ 3,8 mil cada – valor seis vezes maior do que conseguiriam no mercado comum. Eles são responsáveis pela marca Café Pecatto, comercializado em Londrina.

Desde 1981, o casal mantém uma propriedade com 29 hectares de café. Com anos de dedicação, não é a primeira vez que recebem esse reconhecimento. Em 2012, Ossi venceu o prêmio estadual promovido pelo Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná Iapar- Emater. Também já foram finalistas em outros concursos, como o da Associação Brasileira de Cafés Especiais (ABCA).

Leia Também:  Governo propõe a criação do Sistema Estadual de Cultura

Barbosa atribui o sucesso às boas condições de clima da região, com altitude próxima de 760 metros e temperatura média anual de 20º. Ele é engenheiro agrônomo e dedicou-se ao café durante toda a vida profissional.

Já Ossi é sua maior parceira na gestão da propriedade e na preparação do produto, rotulação e comercialização. “Tenho 70 anos e nasci dentro da fazenda. Sou neta, filha, sobrinha e irmã de cafeicultores. E me casei com um agrônomo, apaixonado por café. O prêmio é o resultado de um trabalho de muitos anos nessa atividade, estamos felizes e realizados”, diz a produtora.

ASSISTÊNCIA – “Embora pequena, a produção paranaense vem ganhando destaque pela qualidade, divulgando nossa agricultura para todo o País”, disse o secretário estadual da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara. O secretário-executivo da Câmara Setorial do Café, Paulo Franzini, diz que a projeção do Paraná é resultado de um longo trabalho da Secretaria e do Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná- Iapar-Emater, que promove o Concurso Café Qualidade Paraná há 17 anos, por meio da Câmara Setorial do Café, incentivando a produção de cafés especiais e a participação em outros concursos nacionais. “Temos verificado que muitos produtores já estão num nível diferenciado, especialmente na sustentabilidade da produção, que é o caso de Japira. É importante que a Secretaria continue incentivando, com foco na diversificação e na qualidade da produção estadual”, explica Franzini .

Leia Também:  Governo firma parceria para prevenção e combate a cibercrimes

TRADIÇÃO – O Café do Norte Pioneiro foi o primeiro produto a obter o registro de Indicação Geográfica (IG) junto ao Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI).

A tradição e a importância do produto para o desenvolvimento da região são fatores que impulsionaram essa conquista, obtida em 2012. Os produtos com registro de Indicação Geográfica são aqueles com características diferenciadas por serem produzidos em uma região ou território específicos. Isso estimulou a organização dos pequenos produtores e tem ajudado a movimentar a economia da região.

CONCURSO – Todos os cafés foram avaliados sob a metodologia do Programa de Qualidade do Café Abic – PQC, pelo Júri Técnico composto por Camila Arcanjo, do Grupo de Avaliação de Café-SP, Gina Cardozo e Kátia Cipolli, do Instituto de Tecnologia de Alimentos – ITAL, e por Cicera Araujo, Isabela Custódio e Eduardo Carvalhaes, do Escritório Carvalhaes.

Os produtores campeões serão premiados em uma cerimônia no dia 15 de abril, na sede da Confederação Nacional da Indústria (CNI) em Brasília.

Saiba mais sobre o trabalho do Governo do Estado em:
http:///www.facebook.com/governoparana e www.pr.gov.br

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Estadual

Saúde reforça equipe para combate à dengue em Barbosa Ferraz

Publicados

em

A Secretaria de Estado da Saúde autorizou um reforço emergencial para os trabalhos de combate à dengue em Barbosa Ferraz. Já são quase mil casos confirmados da doença no município, que pertence à 11ª Regional de Saúde de Campo Mourão. O secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, esteve no sábado (22) na cidade para debater as ações que serão realizadas para eliminar os criadouros do Aedes Aegypti, mosquito transmissor da dengue.

Além de ampliação do trabalho de campo, com a remoção mecânica de possíveis focos, em conjunto com agentes comunitários e agentes de endemias do município e do Estado, o arrastão técnico será ampliado com equipes de outras regionais de saúde. “Temos conjugados esforços no auxílio aos municípios, porque o momento exige efetividade neste combate”, disse Beto Preto.

O secretário da Saúde informou que o Estado fará um aporte financeiro de R$ 5 milhões aos municípios em epidemia para auxiliar na aquisição de insumos clínicos e na estrutura de atendimento hospitalar e ambulatorial.

Leia Também:  Curso aprimora profissionais que atuam nas salas de vacinas

AÇÕES – Orientações de manejo clínico também deverão acontecer nos próximos dias, garantindo o reforço na capacitação dos profissionais, sob coordenação da Secretaria da Saúde.

A força-tarefa em Barbosa Ferraz, segundo o secretário, vai auxiliar na redução dos focos e, consequentemente, o número de casos de dengue no município deve cair, assim como aconteceu em Nova Cantu. “Onde intensificamos o trabalho, já tivemos redução no número de notificações. É importante que a população em geral e os profissionais de saúde estejam engajados, uma vez que quase 90% dos criadouros são removíveis”, alertou.

A limpeza das galerias pluviais, por parte da Sanepar, é outra medida que será adotada. Com possíveis entulhos ou material orgânico acumulado, o local acaba sendo um ambiente propício para a proliferação do mosquito.

 “Estamos preocupados com a dengue no Paraná. É uma doença que mata. Temos perdido vidas. Estamos diante do sorotipo dois do vírus. Os paranaenses não têm imunidade a ele. Dengue é uma doença que podemos prevenir. Por isso, é importante a ajuda de todos”, reforçou Beto Preto.

Leia Também:  Governo firma parceria para prevenção e combate a cibercrimes

 

Saiba mais sobre o trabalho do Governo do Estado em:
http:///www.facebook.com/governoparana e www.pr.gov.br

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo