Política Estadual

Assembleia transfere R$ 37,7 milhões para combate ao coronavírus

Publicados

em

.

A Assembleia Legislativa do Paraná vai transferir R$ 37,7 milhões do Fundo de Modernização do Legislativo para o Fundo Estadual de Saúde do Paraná. Os recursos serão destinados às ações de combate e prevenção do novo coronavírus e da dengue. O valor é o montante total disponível no Fundo do legislativo.

Um projeto de lei complementar foi apresentado, nesta quarta-feira (25) durante a sessão plenária, pela Comissão Executiva da Casa, formada pelo presidente Ademar Traiano (PSDB), primeiro secretário Luiz Claudio Romanelli (PSB) e segundo secretário Gilson de Souza (PSC) para autorizar a transferência dos recursos. Na sequência, como relatou o presidente Traiano, será assinado um convênio com o Governo do Estado para formalizar o repasse dos recursos. “A Assembleia mais uma vez, diante dessa crise grave no estado e no país e que preocupa a todos nós, tomou a iniciativa de devolver os recursos para poder contribuir com o Governo nessa crise, que também será econômica e que vai assolar o estado na arrecadação de impostos”, disse. “Esses recursos seriam utilizados para a modernização de alguns setores da Assembleia. Abrimos mão para socorrer o estado. É a contribuição que o Poder Legislativo está dando nesse momento em que há a necessidade de que todos nós venhamos a nos unir para passar e superar essa grave crise”, completou.

Leia Também:  Governador e deputados estaduais iniciam o debate sobre a Estrada do Colono

O primeiro secretário, deputado Romanelli, destacou que a decisão foi tomada em consenso com todos os parlamentares. “A Assembleia Legislativa reforça assim seu papel institucional de representação imediata da população”, salientou. “Estamos fazendo o repasse de todos os recursos que a Assembleia tem em caixa para o combate ao coronavírus e à dengue no Paraná. Serão R$ 37,7 milhões para o caixa da Secretaria da Saúde, que tomará as melhores decisões para o combate a essas duas graves epidemias que estamos sofrendo”, afirmou Romanelli.

Romanelli lembrou que as reuniões das comissões e sessões estão ocorrendo de forma remota. “Estamos seguindo com as sessões legislativas e discutindo e aprovando medidas que o governo estadual tomará nos próximos dias. Também nas regiões do todo o estado, acompanhando a situação e atuando junto ao Executivo”.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Política Estadual

Deputados reconhecem calamidade pública em Cascavel e Guarapuava em decorrência do COVID-19

Publicados

em

.

Diante da epidemia do novo coronavírus, os deputados estaduais aprovaram, de forma unânime nesta quarta-feira (1º), decretos que reconhecem o estado de calamidade pública nos municípios de Cascavel e Guarapuava.

O projeto de decreto legislativo 03/2020, de autoria da Comissão Executiva da Assembleia Legislativa do Paraná, reconhece o estado de calamidade pública em Cascavel até 31 de dezembro deste ano foi aprovado em primeira discussão na sessão ordinária e em segunda discussão em sessão extraordinária. Como teve a dispensa da redação final aprovada, já segue para a sanção do Poder Executivo

O pedido feito pelo prefeito Leonaldo Paranhos tem como justificativa a importância da cidade para a área médica, que é polo regional para atendimentos de saúde, sendo necessário “não medir esforços para mitigar os efeitos da epidemia, eliminando ao máximo os danos que podem ser causados à população”. O município tem mais de 330 mil habitantes.

O deputado Marcio Pachedo (PDT), que é de Cascavel e apresentou parecer favorável ao projeto na Comissão de Constituição e Justiça, ressaltou a importância de desburocratizar a gestão municipal com responsabilidade. “Meu posicionamento está alinhado com a nossa preocupação e com a nossa solidariedade ao município de Cascavel e ao entendimento e ao discernimento do prefeito de Cascavel que tem uma leitura mais ampla de qual é a situação atual do município. O nosso desejo é que todos os prefeitos tenham a devida responsabilidade, respeito e seriedade com o dinheiro público”.

Leia Também:  Governador e deputados estaduais iniciam o debate sobre a Estrada do Colono

Já o projeto de decreto legislativo 4/2020, também de autoria da Comissão Executiva, entrou em primeira discussão na sessão extraordinária e também recebeu a adesão de todos os parlamentares. O prefeito Cesar Silvestri Filho destacou na justificativa que “em situações que demandam uma ação rápida e eficaz por parte da Administração Pública, as quais trazem reflexos orçamentários e remanejamento de recursos, se faz necessária a declaração do estado de calamidade pública”. A cidade tem 180 mil habitantes. A proposta precisa passar por mais uma votação na Assembleia, o que deve ocorrer na próxima segunda-feira (06).

O deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB) lembrou que o momento exige ações imediatas para resguardar a vida dos paranaenses. “Entendemos que as medidas que tem que ser adotadas gera um custo a toda administração pública. Mas agora trata-se de salvar vidas, então todo esforço terá que ser feito”, afirmou o primeiro secretário da Casa,

A aprovação pela Assembleia Legislativa do Paraná dos decretos municipais de calamidade pública segue o que determina o artigo 65 da Lei Complementar federal nº 101/2000, a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). A medida suspende prazos e dispensa o cumprimento dos resultados fiscais e a limitação de empenhos.

Leia Também:  Comissão de Finança aprova incorporação de órgãos pelo Instituto Agronômico do Paraná

Cascavel – Até a manhã desta quarta-feiraa (1º), o município de Cascavel registrava 11 casos confirmados, 107 descartados e 930 suspeitos. Na última segunda-feira (30), Cascavel registrou uma morte pela doença. Ttrata-se de um empresário, de 66 anos, que fez, recentemente, uma viagem para os Emirados Árabes.

Paraná – O Estado registra atualmente 229 confirmados – destes, três óbitos –, 3.683 descartados e 602 em investigação. Dentre os casos confirmados, até às 12h desta quarta-feira, 38 pacientes estavam internados – 21 em Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e 17 em leitos clínicos.

Os dados do boletim são referentes a suspeitos que tiveram amostras coletadas e processas pelo Laboratório Central do Estado (Lacen) e demais laboratórios habilitados no Paraná.

Ouça o Podcast relacionado

 

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo